Planejamento financeiro para pagar a educação dos filhos

Cultura e educação de qualidade são um investimento. Descubra como fazer um bom planejamento financeiro para garantir a educação dos seus filhos

Poucos investimentos trazem tanta satisfação pessoal quanto a educação dos filhos.

No entanto, para garantir que eles tenham acesso aos melhores colégios e a todos os recursos que possibilitem um ingresso bem-sucedido ao mercado de trabalho, é preciso preparar uma boa reserva financeira.

Pensando nisso, elaboramos um post com dicas de planejamento para que você possa se preparar para custear com tranquilidade uma formação acadêmica de excelência para os seus filhos. 

Comece cedo

Pode parecer prematuro começar a pensar na faculdade quando as crianças ainda nem estão na pré-escola, mas não é. Na verdade, o ideal é que o planejamento financeiro para essa finalidade comece a ser feito assim que a criança nascer.

Afinal, quanto mais cedo você começar a poupar, maiores serão as chances de conseguir atingir o seu objetivo com tranquilidade.

Além disso, quem investe com antecedência tem a chance de fazer aportes menores, que não comprometam a renda mensal da família. 

Considere todas as despesas

Se a ideia é planejar-se financeiramente para dar a melhor educação possível para os filhos, é fundamental levar em consideração que frequentar um colégio ou uma faculdade de qualidade não garante, por si só, uma boa formação.

Com o mercado de trabalho cada vez mais concorrido, além de estudar em boas escolas, é importante complementar a capacitação com cursos extracurriculares e vivência internacional, além de falar, no mínimo, inglês com fluência.

Portanto, na hora de colocar na ponta do lápis quanto você pretende poupar, considere todos esses itens para que a estimativa possa estar a mais próxima possível da realidade.

Estabeleça metas

Obviamente, não há como calcular exatamente o custo total da educação de uma criança desde a pré-escola até o final da universidade, incluindo as demais despesas, já que essa equação conta com uma série de variáveis.

No entanto, fica mais fácil fazer uma reserva financeira adequada para esse fim, ao estabelecer uma meta de quanto poupar anualmente. Para isso, é importante estimar um valor final como objetivo. Veja um exemplo:

Estudar em uma das escolas com melhor resultado no Enem custa, de acordo com uma lista produzida pela consultoria IDados, entre R$ 1.410 (valor referente à mensalidade do terceiro ano do ensino médio, no Instituto Dom Barreto, em Teresina) e R$ 4.690 (mensalidade do período integral do mesmo ano no colégio Vértice, em São Paulo).

Se a ideia é matricular a criança em uma escola com mensalidades medianas, do primeiro ano do ensino fundamental até o final do ensino médio, o investimento costuma girar em torno de R$ 140 mil.  O plano é aperfeiçoar o inglês durante uma temporada nos EUA? Seis meses de curso, com acomodação, passagem e alimentação não saem por menos de R$ 30 mil.

Com o ingresso na universidade, os custos aumentam. Para 2018, a mensalidade do curso de graduação em medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, uma das melhores do país, por exemplo, custa R$ 6.200, ou R$ 74.400 anuais.

O ideal é que cada família faça a sua estimativa, levando em consideração os valores médios de mensalidade na sua cidade, gastos extras como material escolar, transporte e, é claro, suas possibilidades financeiras.

Com o valor total em mente, será possível estimar quanto da renda mensal deverá ser reservada para esse fundo. É importante que o montante não ultrapasse 25% dos rendimentos da família, para não prejudicar o padrão de vida atual.

Escolha o investimento mais adequado

Se não é possível determinar um valor exato a ser poupado para garantir a educação dos filhos, pelo menos dá para escolher a melhor maneira de fazer esse "caixa". Os especialistas são unânimes em apontar a previdência privada como alternativa para construir um fundo de reserva.

Os Fundos de Pensão são uma das melhores opções para quem precisa investir pensando a longo prazo, porque além de seguros, seus impostos são decrescentes, ou seja, quanto mais tempo você deixar o dinheiro investido, menos tributos precisará pagar no momento do resgate.  

Aproveite as nossas dicas de planejamento financeiro para escolher a educação dos seus filhos com tranquilidade. 

 

Tags: educação família filhos investimento orçamento planejamento financeiro

Veja mais