Reduzir gastos é a arma para sair do vermelho

Enfrentar a situação com planejamento financeiro pode ser uma alternativa para sair da lista de inadimplentes

Dívida. Palavra que assombra milhares de brasileiros. Basta um incidente para se envolver numa bola de neve!

Muitas vezes o endividamento se dá por gastos que ultrapassam, com frequência, a capacidade de se ganhar dinheiro, seja pelo lazer, pelo poder de compra, viagens e por aí vai. A lista pode ser longa no quesito consumo. As credoras oferecem taxas menores, prazos maiores, crédito a todo instante. Como escapar disso, estando no vermelho?

São tantas as facilidades que fica difícil de se ter controle... Será?

No momento em que se conhece sua situação financeira, é primordial gerenciar um planejamento para organizar as finanças. Sabe-se que, com o poder de compra, fica mais fácil de se adquirir itens, mas é preciso evitar contrair novas dívidas. Abrir mão do consumo por um tempo é essencial! Despesas com alimentação (jantar fora, por exemplo), viagens e lazer devem ser repensadas.

Para dar início ao planejamento financeiro, o ideal é verificar o quanto você deve e, então, negociar de forma calculista as dívidas. Ao negociar, comece quitando as dívidas mais altas, as que encolhem seu salário, depois pague uma a uma gradativamente.

Equilibrar os pagamentos das contas com o dia do recebimento do salário também é uma boa dica para amenizar os atrasos e evitar que se acumulem ao longo dos meses.

Lembre-se de que limpar o nome é a sua maior prioridade.

Controle financeiro é a chave para sair do vermelho

Algumas atitudes nessa etapa são fundamentais para conseguir se livrar das dívidas, são elas:

  • Saber do funcionamento de entrada e saída de dinheiro, ou seja, fonte de renda e o destino das despesas.
  • Entender como as despesas fixas e variáveis podem ser mensuradas. As fixas são aquelas que precisam ser pagas. Já as variáveis, que são os gastos com lazer, refeições, compras supérfluas, podem ser reduzidas ou até mesmo dispensadas.
  • Rastrear os gastos em planilhas ou aplicativos que mostram como o seu dinheiro está sendo usado é um meio de identificar o que está acontecendo.
  • Ajustar formas de lembretes dos pagamentos das suas contas farão com que não se esqueça de pagá-los ou de pagá-los fora do vencimento.
  • Criar o hábito de se ter tudo anotado: do cafezinho até as compras de mês.
  • Tentar reservar uma parte do salário para questões emergenciais, pois nunca se sabe que imprevistos podem surgir.
  • Abrir uma poupança pode fazer com que se tenha o costume de guardar dinheiro.
  • Comprar à vista possibilita descontos e impede o uso desenfreado do cartão de crédito.

O mais importante é que esse planejamento seja abertamente dito. Ou seja, se mora com alguém, ou se tem muitos amigos que te convidam constantemente a lugares em que farão você gastar, eles precisarão saber que, por enquanto, sua vida financeira está em processo de reformulação. Isso ajudará no controle, já que terá menos indução das pessoas para desembolsar quantias desnecessárias.

Outro ponto importante de se compartilhar com alguém sua nova fase de entendimento financeiro é que, ao externar isso, você passa a ter mais confiança e as chances de falhar no planejamento serão mínimas.

Já se imaginou desempenhando outra atividade como fonte de renda extra? A criatividade também pode te ajudar nesse processo. Se possui habilidades com a cozinha, ou se tem facilidades para ensinar algo para quem precisa, por exemplo, pense nisso como uma boa alternativa de ganhar dinheiro. Analise calmamente o que pode fazer, unindo o útil ao agradável.

Quando sentir-se desencorajado(a), escreva frases motivadoras!

Não se deixe abater pelas dificuldades, o mais importante você já tem – que é a vontade de mudar a situação.

Tags: consumo dinheiro dívidas finanças planejamento financeiro

Veja mais