Você costuma ter escuta ativa quando conversa com alguém?

Desenvolver a capacidade de escutar é buscar uma compreensão mais ampla

As falhas na comunicação se dão, em grande parte, por não sabermos escutar. Você já notou que passamos mais tempo preocupados com o que vamos dizer e em mostrar nosso ponto de vista de forma veemente do que em compartilhar o conhecimento com outra pessoa?

Você já deve ter visto, em uma reunião, pessoas caladas olhando para o interlocutor. Será que estão escutando para compreender? Ou apenas ouvindo para responder? Boa parte está apenas ouvindo. Algumas recebem a informação, mas estão ocupando a mente formulando suas respostas sem se preocupar se há interação com o que é dito.

Ouvir é perceber sons com o ouvido, é meramente um processo físico em o que cérebro registra as propagações que se espalham pelo ar. Já escutar é prestar atenção, tomando conhecimentos do que está ouvindo. Entenda que há uma grande diferença entre ouvir apenas para responder e escutar para compreender, gerando uma troca.

Você sabe o que é escuta ativa?

A escuta ativa é uma proposta em que a habilidade de escutar está atrelada a dois componentes fundamentais em um diálogo – o cuidado e a compreensão. Quando escutamos com comprometimento, passamos a compreender o diálogo de modo colaborativo. Ou seja, buscamos um entendimento dos problemas alheios e nos dispomos a aprender, a pensar junto com quem conversamos.

Esse cuidado no discurso faz com que nos tornemos empáticos, por nos colocarmos no lugar de quem fala. A importância de escutar ativamente faz com que a outra pessoa sinta que estamos ligados a ela, criando laços na comunicação e oportunizando cumplicidade.

A maioria das pessoas fala mais do que escuta

No mundo em que as distrações tomam conta da maior parte do nosso tempo, muitas vezes nos pegamos em um almoço, por exemplo, olhando para o celular, procurando algo, conversando com uma terceira pessoa por mensagens. E, nesse círculo vicioso, deixamos de aprender, de ajudar e de estarmos presentes. Uma vez que as palavras foram ditas e não as ouvimos, perdemos a chance de ouvi-las novamente. A escuta se torna distraída, descuidada, porque a mente está priorizando outros discursos em razão do que está sendo compartilhado.

Por outro lado, há quem fale mais do que escuta – o que também é um problema na comunicação. Essas pessoas acreditam que o poder está exclusivamente na fala, já que as respostas precisam ser rápidas, preferencialmente para tudo o que se perguntar. Elas acreditam que não ter a resposta imediata é um sinal de que não possuem propriedade no assunto. Acabam monopolizando a conversa, não escutando de forma comprometida os outros.

Quem não tem a habilidade de ouvir pode ter problemas no trabalho

As pessoas que não sabem ouvir podem ter dificuldades em se tornar líderes, porque dificilmente tomarão decisões acertadas – justamente por não ter ouvido opiniões diversas ou ponderações que as levariam a uma escolha assertiva. Elas desperdiçam oportunidades de serem promovidas, pois carregam a imagem de arrogante e, consequentemente, perdem a admiração dos colegas de trabalho.

Para detectar se você pode ser uma pessoa com pouca habilidade de ouvir, pergunte-se: Será que meu ouvinte não compreende o que digo? Ouço comprometidamente ou formulo as respostas enquanto isso?

Saiba que não é difícil desenvolver a habilidade da escuta ativa. Basta usar uma técnica muito simples: Ouça 80% e fale 20%. Na prática, vamos ajudar você a ter uma relação mais positiva, empática:

  1. Pergunte aos seus amigos se você é uma pessoa que sabe ouvir.
  2. Caso seja negativa a resposta, reconheça que você deve mudar a sua conduta.
  3. Habitue-se a usar a técnica de ouvir mais e falar menos (80 e 20).
  4. Legitime seus ganhos, sejam pessoais ou profissionais, com essa mudança.
  5. Valorize o seu esforço. Sinta que valeu a pena ter mudado de comportamento.

 

Tags: compreender empatia escuta ativa escutar ouvir

Veja mais